Patchwork e Quilting

Patchwork e Quilting

O Pacthworke Quiltingsão trabalhos manuais muito antigos. Desde a época dos egípcios antigos já vemos faraós usando roupas de patchwork e quilt desenhados nas paredes das pirâmides.

Na Europa, durante a Idade Média, roupas de quilts eram feitas de sobras de tecidos para serem usadas como proteção embaixo das armaduras de ferro. Naquela época também eram feitas colchas para aquecimento. A palavra quilt surgiu do latim “culcita“, uma espécie de colchão ou almofadão enchido com algo macio e quente (assim como penas, lã ou cabelos) e usado para se deitar ou cobrir. O patchwork e quilt se espalharam por diversos países da Europa como Inglaterra, Alemanha, França e Itália.

Patchwork e Quilting

Os peregrinos e colonizadores dos Estados Unidos, que fugiam da Inglaterra devido à perseguição religiosa, levaram este artesanato para o Novo Mundo. Estes colonizadores eram muito rígidos e as mulheres eram incentivadas a fazer trabalhos manuais para que o “demônio” não tivesse espaço em suas mentes. Estas mulheres só tinham permissão para sair de casa em duas ocasiões, para ir à igreja ou para ir às reuniões de quilteiras (quilting bees).
Nestas reuniões elas faziam colchas, roupas e cortinas de retalhos de sobras de roupas ou mesmo de roupas velhas, porque não tinham dinheiro nem onde comprar tecidos.

Em vez de costurar os retalhos de qualquer jeito as quilteiras pioneiras planejavam e costuravam formando padrões muito artísticos dando razão às suas ambições, desejos, sentimentos e até mesmo suas posições políticas já que não tinham direito a voto. Naquela época todas as mulheres deveriam fazer 12 quilts antes de se casar (um quilt para cada mês do ano) e só então estariam prontas para casar.

Com a invenção da máquina de costura caseira em 1846, o patchwork e quilt passaram a ser feito tanto à máquina quanto à mão. Após a segunda guerra mundial quando diversas mulheres foram trabalhar em indústrias e no comércio, houve um esquecimento do patchwork e quilt.

Patchwork e Quilting

Na década de 70 houve um ressurgimento do patchwork e quilt, quando foram desenvolvidos diversos acessórios e instrumentos, como réguas e cortadores especiais, que, aliados ao uso da máquina de costura deram mais velocidade ao patchwork e quilt permitindo adaptar este trabalho manual ao ritmo de vida corrido do século XX e XXI.

A indústria têxtil também passou a desenvolver estampas e cores especiais para o patchwork e quilt o que tornou infinita a paleta de cores e estampas tornando tecidos em uma espécie de tintas e os quilts em verdadeiras obras de arte. Por isso hoje em dia o patchwork e quilt é considerado mais que um artesanato, é considerado também uma arte. Existem hoje, nos Estados Unidos, museus e galerias de arte especializadas no Patchwork e Quilt.

Durante o Brasil colonial e imperial o patchwork e quilt ficaram limitados aos escravos que usavam os retalhos das sobras das roupas de seus senhores assim como roupas velhas para fazer cobertas e roupas. Somente durante a república e com a imigração européia de italianos, alemães e posteriormente ingleses e americanos, o patchwork e quilt passaram a ser mais difundido aqui no Brasil.

Fonte: EvaEva

78 Responses to “Patchwork e Quilting”
  1. Gigi Revoredo 15/09/2010
  2. karina 05/10/2010
  3. Valda Lúcia 23/10/2010
  4. rosangela 26/10/2010
  5. Raquel 27/10/2010
  6. Denise Siqueira 10/11/2010